FINANCIAMENTO - Casa própria: como a alta da Selic influencia o financiamento de imóveis?

Publicado em 16 de maio de 2022

Quando falamos em economia, é preciso entender diversos fatores que explicam o momento atual. Um deles é a taxa Selic e seu impacto no financiamento de imóveis. Dessa forma, todos acabam sentindo o impacto da tendência de alta, seja pessoas físicas e bancos. Mas obviamente isso acontece de formas diferentes. Então, para entender como ocorre esse impacto da Selic no que diz respeito aos imóveis, confira a seguir!

Casa própria: como a alta da Selic influencia o financiamento de imóveis?

Assim, vale dizer que o mercado já estava esperando uma nova alta de juros. Na última reunião do Copom, a taxa Selic foi para 12,75% ao ano. Contudo, apesar do estrago que esse aumento provocou, o setor imobiliário não teve tanto prejuízo assim. Isso porque o total financiado para a pessoa física em 2021 ficou em R$ 165 bilhões, ainda maior do que registrado em 2020.

Com isso, mesmo que o mercado sinta os efeitos da pandemia, da inflação e da alta da Selic, não é nada desesperador. Até porque, quem está interessado em um financiamento imobiliário não deve perceber o aumento tão em breve. Afinal, o crédito imobiliário é de longo prazo. Por isso, é sempre feita uma análise da curva dos juros futuros.

Portanto, se atualmente um casal está interessado em financiar um imóvel de R$ 500 mil, e pretende dar R$ 200 mil de entrada, e parcelar os R$ 300 mil restantes em trinta anos, é preciso considerar as mudanças. Isso porque existe a alta da Selic, e a prestação do financiamento também deve ser maior. Porém, provavelmente nada que impeça o casal de fechar o negócio.

Segundo especialistas, uma saída é optar pelo financiamento atrelado à poupança. Nesse caso, o banco cobra uma taxa de 2,99% mais o rendimento da poupança. O que acaba sendo uma boa vantagem a longo prazo. Assim, quando a Selic cair, o rendimento da poupança acompanha, e a prestação do imóvel também diminui.

Voltar a listagem de notícias